Acostume-se com a dor

Pois é, acostume-se com a dor, principalmente se você, assim como eu, trabalhava sentado em uma mesa de escritório o dia inteiro antes de fazer a transição para a vida de cervejeiro.

Esse foi um dos choques que tive nas primeiras semanas de trabalho nas cervejarias. Voltava para casa com dor no corpo inteiro, afinal passava o dia inteiro em pé, sentando somente em dois momentos do dia, para almoçar e para fazer o número 2 diário. Além da postura a rotina do cervejeiro se torna carregar peso de lá pra cá na cervejaria, sejam caixas de cerveja (cheias e vazias), kegs (cheios e vazios), mangueiras (e como pesam), cilindros de CO2, galões de produto químico, etc.. Isso sem contar o dia de limpeza dos equipamentos e do chão da cervejaria. Dependendo dos equipamentos sim, vai ser na base do muque esfregar a tina de mistura e whirlpool. E o chão, a o chão, esse vai ser esfregue por inteiro, em cada canto, e se bobear um pouco das paredes. E no final… rodo. Junte a isso uma coluna de mais de 40 anos e eu te garanto que vai chegar em casa se sentindo com 100 anos de idade.

Mas toda essa dor vai valer a pena. Vai por mim.